Perguntas Mais Freqüentes

Perguntas Mais Freqüentes

  1. Por que usar degradáveis?
  2. Qual é a diferença entre degradável e biodegradável?
  3. O que é a oxi-biodegradação de um plástico?
  4. Que produtos podem ser transformados em degradáveis?
  5. Como se pode controlar o tempo de estoque e a vida útil?
  6. A forma de descarte (por exemplo, para adubagem ou aterro sanitário) muda o aditivo usado no produto?
  7. Os plásticos com tecnologia TDPA™ podem ser reciclados?
  8. Como o aditivo TDPA™ afeta o processo de produção, a eficiência ou a qualidade?
  9. Como o aditivo TDPA™ afeta o desempenho do produto?
  10. Que testes a EPI usa para garantir produtos de qualidade?
  11. O que inicia a degradação do produto com aditivo TDPA™?
  12. Quais são os produtos finais da degradação e como eles afetam o meio-ambiente?
  13. Quais os custos adicionais para se tornar um produto degradável?
  14. Os plásticos com TDPA™ podem ser usados em produtos que ficam em contato com alimentos?

1. Por que usar degradáveis?

Plásticos convencionais não se dissolvem. O lixo e os resíduos em aterros sanitários levam anos, até décadas, para degradar. O lixo é a poluição que podemos ver à nossa volta, uma triste realidade que leis e programas educacionais não conseguem eliminar. Em aterros sanitários, os plásticos comuns se degradam muito lentamente e qualquer coisa embalada com eles pode não alcançar seu potencial total de degradação. O resultado é o desperdício desnecessário do valioso espaço dos aterros sanitários.

Plásticos degradáveis fabricados usando aditivos EPI, sob o nome TDPA™, degradam após o uso e o descarte com base na duração necessária do produto plástico. A redução do lixo e da poluição são conseqüências fundamentais desse processo, criando um meio-ambiente melhor para todos.

Informe a seus clientes, acionistas e colaboradores que sua empresa é consciente e que nós NOS IMPORTAMOS com a preservação do meio-ambiente.

Back to Top

2. Qual é a diferença entre degradável e biodegradável?

A degradação é um processo através do qual moléculas muito grandes são quebradas em menores ou em fragmentos. Normalmente, o oxigênio é incorporado a esses fragmentos moleculares. Os filmes, fortes e resistentes, normalmente tornam-se fracos e quebradiços como resultado da degradação oxidativa. Este resultado deve-se à grande diminuição do tamanho das moléculas que constituem os filmes. A degradação pode ser causada (iniciada) por calor ou exposição à luz UV e é intensificada por estresse mecânico.

"Plástico degradável: plástico elaborado para sofrer uma mudança significativa em sua estrutura química sob condições ambientais específicas, resultando na perda de algumas propriedades que podem variar, medidas através de testes apropriados para o plástico e sua aplicação, em um período que determina a sua classificação". [ASTM D883-99] – American Society for Testing and Materials

Biodegradação é o processo pelo qual microorganismos (bactérias, fungos ou algas) convertem os materiais em biomassa, dióxido de carbono e água. Biomassa é um termo geral usado para se referir às células dos microorganismos que estão usando o material como fonte de carbono para se desenvolver.

"Plástico biodegradável: um plástico degradável no qual a degradação resulta da ação de microorganismos encontrados na natureza, como bactérias, fungos e algas". [ASTM D883-99]

Back to Top

3. O que é a oxi-biodegradação de um plástico?

A oxi-biodegradação é um processo em dois estágios no qual, primeiramente, o plástico é convertido por uma reação com oxigênio do ar em fragmentos moleculares solúveis em água. Em um segundo momento, essas moléculas oxidadas menores são biodegradadas (convertidas pelos microorganismos em CO2, H2O e biomassa).

Back to Top

4. Que produtos podem ser transformados em degradáveis?

A ênfase da EPI, atualmente, está em produtos plásticos descartáveis que são usados regularmente por um curto período e depois descartados. Produtos que incorporaram com sucesso os aditivos TDPA™ incluem sacos para lixo, sacolas de compras, embalagens de fast-food, fraldas e talheres descartáveis.

Back to Top

5. Como se pode controlar o tempo de estoque e a vida útil?

Os aditivos TDPA™ são feitos em diversas formulações e incorporados em diversos percentuais para se adaptar a vários tempos de estoque, vida útil e taxa de degradação. Após a compreensão do ambiente e das condições nas quais o produto final será estocado e usado, será possível recomendar o aditivo apropriado e a porcentagem necessária para produzir um produto de alta qualidade e com o desempenho desejado.

Back to Top

6. A forma de descarte (por exemplo, para adubagem ou aterro sanitário) muda o aditivo usado no produto?

Sim. A EPI criou grupos de aditivos para aplicações em adubagem. Todos os aditivos TDPA™ usados podem iniciar a degradação nas duas condições (adubagem ou aterro sanitário). Porém, os produtos feitos especialmente para adubagem, geralmente, precisam se desintegrar em uma taxa muito mais acelerada do que em um aterro sanitário. Conseqüentemente, a EPI pode sugerir o aditivo mais apropriado com base na forma de descarte.

Back to Top

7. Os plásticos com tecnologia TDPA™ podem ser reciclados?

Sim. A reciclagem de material produzido (aparas, sucata etc.) é inteiramente possível e é praticada regularmente pelos licenciados da EPI em todo o mundo. É recomendável que um máximo de 20% de material reciclado seja adicionado ao material virgem para o processamento. Especificamente, 20% no máximo para a produção de degradáveis/biodegradáveis e 5% para não degradáveis. Isso vai garantir que a nova geração de plásticos tenha as propriedades necessárias.

Sim. Reciclar degradáveis após o uso é inteiramente possível se eles usam tecnologia TDPA™ e não começaram ainda a degradar.

Back to Top

8. Como o aditivo TDPA™ afeta o processo de produção, a eficiência ou a qualidade?

O aditivo TDPA™ pode ser usado nos mais variados equipamentos e, normalmente, não afeta o processo de produção, a eficiência ou a qualidade do produto. As taxas de adição são geralmente de 1 a 10%, com base na aplicação do produto. A EPI recomendará o aditivo e a taxa apropriada conforme as propriedades necessárias para cada produto específico.

Back to Top

9. Como o aditivo TDPA™ afeta o desempenho do produto?

Exceto pela degradação, os produtos serão como produtos plásticos normais. Suas características não são comprometidas pela adição do aditivo TDPA, exceto a sua duração, que é planejada para durar somente o necessário para o uso normal e especificada com uma data de validade.

Back to Top

10. Que testes a EPI usa para garantir produtos de qualidade?

A EPI usa testes internos e externos (independentes) para determinar as características do produto. Nossa instrumentação laboratorial inclui:

  • Espectômetro FTIR (Fourier transform infrared)
  • Equipamento de aceleração de clima (QUV)
  • Testador de tensão / alongamento
  • Plastômetros (testadores de índice de mistura)
  • Testadores de impacto
  • Fornos de envelhecimento

A EPI usa este equipamento para realizar uma variedade de testes químicos, físicos e mecânicos em produtos fabricados com fórmulas TDPA™ e para descrever mudanças nos mesmos. Todos os testes são baseados nos métodos e especificações da ASTM para atender as exigências dos consumidores.

Back to Top

11. O que inicia a degradação do produto com aditivo TDPA™?

Os aditivos TDPA™ são formulados de modo que o material plástico (bolsas, filmes etc.) se desfaça em uma degradação oxidativa e se quebre em fragmentos frágeis depois de usados e descartados. Isso ocorre como resultado de exposição ao calor ou luz UV, com a ajuda de estresse mecânico ou de uma combinação destes fatores. As moléculas tornam-se muito menores à medida que reagem com o oxigênio. Como resultado, os fragmentos do filme tornam-se solúveis em água e o crescimento de microorganismos neles leva à formação de dióxido de carbono, água e biomassa por processos microbiológicos convencionais.

Back to Top

12. Quais são os produtos finais da degradação e como eles afetam o meio-ambiente?

O polietileno (PE) contendo aditivos TDPA™ foi testado extensivamente e foi confirmado que não deixa resíduos prejudiciais ou tóxicos após a oxidação e biodegradação. Os produtos da biodegradação incluem dióxido de carbono (CO2), água (H2O) e biomassa, que é constituída primariamente de células dos microorganismos responsáveis pela biodegradação do produto descartado. Os produtos formados durante a adubagem comercial mostraram não ter efeitos negativos na germinação de sementes, no crescimento vegetal, ou em testes de toxicidade com minhocas e pulgas de água. Não há acúmulo de polímeros residuais, fragmentos de polímeros ou qualquer outro material orgânico. O adubo produzido mostraram-se em conformidade com os padrões de qualidade normais.

Back to Top

13. Quais os custos adicionais para se tornar um produto degradável?

Usar a tecnologia de aditivos é preferível do que caros biopolímeros (à base de amido). Os produtos com aditivos TDPA™ da EPI são totalmente degradáveis e biodegradáveis, e disponíveis a preços competitivos quando comparados aos produtos tradicionais. Isso permite uma grande variedade de produtos plásticos comercialmente atraentes e não prejudiciais ao meio-ambiente.

Back to Top

14. Os plásticos com TDPA™ podem ser usados em produtos que ficam em contato com alimentos?

Sim. Os aditivos TDPA™ receberam certificação da FDA para contato com alimentos nos Estados Unidos e certificação do EFSA na Europa. Com base no uso do produto, um aditivo apropriado pode ser recomendado para uso no plástico.

Os principais componentes usados na produção dos aditivos TDPA™ estão na lista de produtos químicos seguros da FDA (FDA GRAS – geralmente reconhecido como seguro). Os que não estão na GRAS estão dentro das normas de "No Migration Exemption", ou seja, não se espera que os aditivos se tornem parte da comida que embalam.

Os principais ingredientes dos aditivos TDPA™ estão listados na Diretiva de Plásticos da União Européia (EU Plastics Directive - 2002/72/EC). Os componentes não listados estão dentro das normas para importação de embalagens para alimentos.

Back to Top